Quem primeiro desamar

Rosas vermelhas, a perder de vista,

Mas há muito espinho neste mar!

Machuca-se a quem conquista,

Quem primeiro desamar.

 

Enquanto lhe apraz reverências,

Faz do exagero do amor, o seu lar

Aproveita-se do outro, em consequência,

Quem primeiro desamar.

 

Em si mesmo, por fim, sacia

E faz-se questão de deixar a par,

Pelas bordas, termina dia a dia,

Quem primeiro desamar.

Guilherme dos Anjos Nascimento
© Todos os direitos reservados