ADEUS, OLÁ

ADEUS

Os pardais se ergueram em bandos
Partiram feito velas em um cais
O desejo ainda ardia, mas o tempo
Abrandava o fogo que queimava nos beirais
Adeus pardais -pardais
As cadeiras estão vazias no Passeio
João - João foi o primeiro
Marquinho - Marquinho foi o segundo
Luiz - Luiz foi o terceiro
Brilhante - Brilhante ficou para trás
Será que um dia surgirão outros pardais?

Luiz Cesar Nogueira de Carvalho

OLÁ

As águas do rio passaram
Os homens passaram e os pardais voaram
Talvez tenham se transformados em corvos
Ou quem sabe condores que voam alto, acima das montanhas geladas
Lá do alto tudo veem, quase tudo sabem
Porém, calam sua voz para que o grito d´alma se faça ouvir
E o tempo que abrandava o fogo que queimava nos beirais
Deu lugar à eternidade que ficou para trás

Marco Antônio Abreu Florentino

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados