Você

Ouço o vento bater na janela do meu quarto, vejo a luz que entra através do vidro, sinto o cheiro da grama cortada pela manhã, o toque do vento frio que passa pelas frestas me arrepiam, sinto na linguá o sabor do último beijo que te dei. São os meus sentidos sentindo falta da sua presença. A mobília sente a sua falta, a casa está vazia sem você, a cama, os lençóis e o travesseiro. Na fronha sinto o seu cheiro, no chuveiro a água morna é como o seu corpo me tocando e me amando. O tempo se arrasta como uma corrente barulhenta que me atormenta e me enlouquece. Da janela observo os passantes, observo a praça, observo os casais... A sua falta me faz lembrar o dia em que você foi embora, o dia que te deixei sozinha e abandonada. Eu não queria te deixar ali! Na terra fria que agora é a tua eterna morada.

Cesar Garcez
© Todos os direitos reservados