A cruz e Ele

 

Da cruz de Jesus,

Nela as mãos dos homens O sacrificaram,

Mas Ele morreu pela humanidade,

Brota e resplandece uma luz,

Que ilumina o eu dos homens,

Sem ofuscar seus olhos,

E não deixa os corações nas trevas,

Mas brilha sobre a fonte da vida,

Esta luz é de uma chama tão forte,

Que afugenta a morte eterna que ronda as almas

E aquece o coração do homem,

Que, aquecido, abre suas portas para entrar o amor,

Para ele então faz festa

E acaricia seu encanto,

Encantado por dar guarida a ele

E a Ele,

Que é puro amor e vida.

O trono da cruz

Não tem pompa nem ouro,

É só brilhante,

Com o brilho da verdade

E nele morreu quem nos ama,

Doando a sua vida pela vida,

Com um amor puro,

Novo e velho como o homem,

Sustento de nossa alma

E a luz que nasce na cruz de Jesus,

Também ilumina a nossa vereda,

Onde o encontro com o amor é fácil,

Pois não há escuridão,

Com Ele morando dentro do coração,

É uma verdadeira alameda de cores,

Margeada por flores,

Que nos leva até o céu,

Até o abraço do pai misericordioso.

Com o nascimento de Jesus

O céu fez da terra um porto seguro de alegria

E a divindade atracou na terra seu barco neste porto

E convidou os homens a embarcarem nele e através dEle,

Para no céu,

E, de perto,

Provarem da felicidade de serem amados

Por quem dá a vida

E é a própria vida.

Paulo Roberto Varuzza
© Todos os direitos reservados