Descontentamento

Não!
Não me peça pra ficar,
Liberte-me destes doces olhos teus.
Deixe-me ir!
Afrouxa as amarras que me atam
Ao teu coração.
A mansidão do teu rio
Não me basta.
Minh'alma veleira anseia singrar
Novos oceanos.
Lançar âncora no longe,
Nos confins da linha do horizonte.
Solta-me!
Tuas águas serenas 
Não contentam um coração 
Aventureiro.
Atrai-me navegar num mar revolto.
Mergulhar nos turbilhões
Da descoberta.
Atracar meus destroços
Nos mistérios 
De uma ilha solitária
Para desvendar seus segredos
E me atirar
Nos braços de um vulcão.

Maria Isabel Sartorio Santos - 27/09/2018

Maria Isabel Sartorio Santos
© Todos os direitos reservados