QUANDO NÃO SE PRECISAR MAIS DE POESIA

QUANDO NÃO SE PRECISAR MAIS DE POESIA

Nesse dia o céu estará azul, um lindo azul,
Mas por 'ele mesmo' sem depender de alguém
Para o cantar ou 'só imaginar'!
Essa realidade de 'cinza' também passará a ser azul,
Além de outros tons alegres que possa lhe enfeitar!
A felicidade(mais do que nunca) não custará nada
E estará ao alcance de qualquer um!
Quando não se precisar mais de poesia,
O meu trabalho também acabará!
E assim viverei de brisa e do meu sonhar...
Com os sonhos mais doces, picantes ou 'molhados'
Que verei se realizarem assim como um amor impossível
Que de tanto viver, chegarei a enjoar!
A verdadeira paz será finalmente estabelecida...
E haverá até mesmo entre o cravo e a rosa, uma rusga tão antiga
Como a própria cantiga!
Não se precisará mais escandir, e de nenhuma outra regra
Que só serve mesmo para se transgredir!
Se esvaziarão os saraus, mas não se lotará mais prisões!
O amor e até a paixão estarão ao alcance de qualquer criança,
Mas a maldade distante de todas as mentes e corações!
Será quando se puder andar tranquilamente por aí, 'sem estar nem aí', 
Sem medo da vida e de ser feliz, de se ser julgado, questionado e criticado
Por reis falsos dementes ou qualquer ente, agente que se diga dono da razão!
Quando não se precisar mais de poesia, a Utopia deixará de ser só uma ilha!
O mundo poderá continuar sem solução, mas não sofrerá falta de rimas,
Sejam 'pobres' ou 'ricas' e a própria poesia se converterá em pão!
Será possível se ver o exato momento do 'abrir de uma flor',
O 'ajuntar' das estrelas em seu rancho por Deus nosso Pastor...!
E numa praia, além de estrelas-do-mar, a própria lua nela refletida 
Também se permitira 'catar'! 
O uso de saias godês passará a ser obrigatório, e Adélia já reservou a sua
Mesmo não fazendo o seu estilo!
Será quando tudo mais der certo, se ver mananciais em pleno deserto, 
Vênus ressurgir em 'Chipres nunca dantes' e Jesus vir buscar a sua noiva!
Será quando não se fizer mais protesto, não se precisar de algum manifesto
E nem de motivos para se amar!
Quando não se precisar mais dessa arte, suas belas-letras e fantasias,
Abandonarei a escrita para finalmente e genuinamente a própria poesia vivenciar!

*MAIS DE MIM EM:
REINO LÍRICO (gustavoreymond.blogspot.com)

DAN GUSTAVO
© Todos os direitos reservados