A morte da poesia

Quando a poesia for morta, não ofereça flores. 

Pois qualquer forma de amor

Ou demonstração de beleza,

Sutileza, delicadeza, pureza,

A fará ressurgir para a vida.


Poesia é o amor oculto,

É a paixão retumbante,

São os olhos marejados,

Um coração pulsante.

 

Porque, poesia é o vento

Que move as pás do moinho.

É o desígnio divino

Que torna a ave ao seu ninho.

 

É a palavra sentida,

Revelando o sentimento,

É a lágrima sofrida

E o retrato de um momento.

Jrunder (JRUnderavícius)
© Todos os direitos reservados