ILUSÕES PERDIDAS


ILUSÕES PERDIDAS

O sonho pessoal de conquistas
Transformado pela vil realidade
De valores egoístas e arrivistas
Dos que só querem visibilidade

O sucesso do artista habilidoso
Relegado ao interesse negocial
Porque não basta ser talentoso
É preciso a trama circunstancial

Todo esforço criador despendido
Parece perdido ao ficar recolhido
Feito Luciano, herói balzaquiano

São Ilusões desse mundo leviano
Que se vão no logro da aparência
Destruindo da arte toda essência

Marco Antônio Abreu Florentino

Soneto homenagem a Honoré de Balzac, genial escritor francês do séc. XIX e um dos maiores de todos os tempos. Autor de importantes produções literárias, destacando-se ¨A Comédia Humana¨, sua grande obra, onde estão inseridos, entre muitos (são 95 romances, novelas e contos que procuram retratar todos os níveis da sociedade francesa da época), ¨A Mulher de Trinta Anos¨ e ¨ Ilusões Perdidas¨, um dos seus romances mais extensos e famosos, no qual Balzac faz uma perfeita descrição da sociedade burguesa parisiense, com primorosos estudos de costumes e cenas da vida provinciana.

Importante salientar que a sociedade contemporânea atual não mudou seu ¨modus vivendi¨, no qual as aparências e relações de interesses individuais, grupais e econômicas se sobrepõem às relações profissionais e artísticas, gerando injustiças e relegando, do ponto de vista estético e de conteúdo, principalmente pela grande mídia, vários artistas talentosos ao anonimato.

Para quem já leu ou vai ler esse importante e aprazível romance, com a saga de Lucien de Rubempré (Luciano), terá uma melhor compreensão do soneto.

https://youtu.be/S77I7ZaQdVU
(Chanson D´Amour - Manhattan Transfer)

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados