Lástima

Lembranças revividas na memória já não conseguem mais me satisfazer.

Conversas trocadas, pessoalmente ou virtualmente, foram boas para mim.

Espero que também tenham sido boas para você.

Mas não me satisfazem mais.

Dia após dia vendo as mesmas fotos;

Lendo as mesmas mensagens

Não podem mais dar conta da lamúria que me assola.

Tento lançar-me a outros mares;

A experimentar outros navios.

Mas e o apego a quem tanto lhe fez bem: o que se fazer?

Ando caminhando em uma multidão, a procura de alguém desconhecido

O que fazer com tantas promessas feitas? Com tantos sonhos inventados?

Tantos momentos de minha vida em que você com simples atos fez-me abrir largos sorrisos;

Tantas palavras e frases que fizestes brotar do meu ser com seu olhar e com seu corpo divinamente feito.

Não posso mentir a mesmo e dizer que toda nossa história teve um ponto final.

Às vezes recuso até de admitir que ela teve uma vírgula.

Sem você, os encantos de uma noite de luar, de uma tarde de primavera, acabam por perder parte de seu brilhantismo.

A tentação do me aventurar é grande, de realizar novas viagens, de percorrer novos caminhos.

Só que a cada dia que passa, é seu rosto que vem na minha mente a cada vez que penso na palavra amor.

Há a possibilidade de nossos destinos jamais se cruzarem novamente;

Há a chance de que nossos corpos nunca mais se toquem como antes;

Que as realidades que pareciam fantasias virem apenas histórias passadas;

Mas... o que fazer?

Sem a provocação do seu olhar, sem o seduzir de sua boca, sem o hipnotizar de seu perfume

Acabo por me tornar de novo um peregrino de amores alheios

Sem um destino fixo, sem um porto seguro.

Só que na profusão de incertezas

Talvez meu coração ainda esteja te esperando.

Em meio a tantos acontecimentos, ele talvez esteja esperando apenas uma chance

Apenas uma chance de poder bater novamente no ritmo do seu nome

Porque entre todas as pessoas que conheço

É para você que termino voltando, para descansar todo o meu amor.