Um rio de nome saudade.


A saudade é um rio.

Tem sua nascente, algumas vezes aos pés de um morro...

Mas pode ser também em uma esquina, em um terminal rodoviário, no metrô ou até em um aeroporto.

Na verdade, nasce em qualquer lugar...

Frágil e pequenina vai crescendo, alimentada pelos ribeirões dos sonhos e das águas das chuvas de lembranças.Torna-se caudalosa, gigante e gera fortes correntezas de emoções, originando corredeiras de tristeza e cachoeiras de lágrimas amargas.

Em suas margens crescem mudas de espera de onde florescem lindas e coloridas recordações.

Suas águas são límpidas e nos lembrarão do sabor dos longos beijos.
Ao toca-la, relembraremos as carícias e as juras.Se mergulharmos nestas águas, seremos envolvidos pela esperança e lá ficaremos, porque ao tentarmos sair, sentiremos soprar a gélida brisa da amargura.

Quando enfim, o som de uma voz chamar por nosso nome e fizer nosso coração bater mais forte no peito, saberemos que é chegado o momento de subir pelas escadas da felicidade e alcançar o céu de um abraço...


"Canta essa saudade,
que chorar insiste.
Mostra na canção,
que o amor ainda existe.
Não se sinta triste, 
Nem queira solidão...
Canta essa saudade
Liberta o coração."  

Jrunder (JRUnderavícius)
© Todos os direitos reservados