Outros tempos

É do silêncio amargo
Que as palavras se definem
E ardem ou escondem
Na confusão
Do que viver traz
Nas coisas que a vida
Nos ensina.

O amor
Este sim determina
O que queremos viver.
Porém mais do que
O que se possa desejar
São as condições
Que podemos ter.

E é neste momento
Qual a hora da parada?
Será que aproveitamos
O que se tem?
A ganância de chegar
Ao fim da estrada
Não te faz olhar para fora
Porque não se quer
Ver mais nada
Mesmo que seja
Muito horizonte
Este amor que se tem.

Para o meu coração
A chegada é determinada
Não para onde se vai
Mas com quem se está
Este alguém
Ou alguém
Que se é que é 
O nosso maior bem.