Conflitos

E as lembranças chegaram alvoroçando aquela paz, como fosse a passarada saudando a chegada de um novo dia.

E o velho coração bateu mais forte, descompassando a monotonia da vida de então.
Ah! Por que esses sonhos não nos abandonam? Estão mortos!
O tempo os fez perecer e os lançou no abismo profundo do esquecer.

E já foram choradas todas as águas que existiam. Se fez sertão nas esperanças e a aridez tomou conta dos vastos campos onde plantávamos nossos desejos.

Por que essa semente de amor insiste ainda em germinar?

Quando escolhemos as pedras, perdemos o  direito às flores.
Hoje é cerrado, onde um dia foi mar. Hoje se espera tão somente o ultimo por do sol.

Jrunder
© Todos os direitos reservados