FICÇÃO

FICÇÃO
Todo grande amor é castiça ficção
Alegoria d´alma mirada no espelho
Que distorce a realidade da paixão
Venida nos devaneios de rapazelho

Igual jardim que resseca no outono
E murcha na beleza fria da saudade
O amor esvanece pelo vil abandono
Se rendendo à razão da maturidade

Deixa marcas da indelével nostalgia
Resgatada pela envelhecida fantasia
Segura na teimosia do afeto pessoal

Recusa aceitar que, na vida é normal
A cessão do amor a outra companhia
E a lídima construção de nova poesia

Marco Antônio Abreu Florentino

Redefinido que ¨para viver um grande amor¨ não é preciso, necessariamente, ter um grande amor.

https://youtu.be/_kfDbyZaSmo
(Flor de Lis - Djavan)

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados