Engano

Quando o dia da noite se veste

Seu vestido de estrelas acende

Até que do sol nada mais reste

Tapeçaria onde se extende

Na escuridão, sua glória celeste

Nela, o sonho vem e pretende

Que à vida sua loucura empreste

Quando é dela que muito depende

 

Sendo assim, loucura ou teste

Para olhos de quem nada entende

O sonho torna, feito uma peste

E na noite, que nada mais prende  

Em copas, traz seu fantasma agreste

Que vem e ao meu chamado atende

Uriel da Mata
© Todos os direitos reservados