Site de Poesias

Menu

São Angilberto e sua amada

[Ilustração não carregada]

 
São Angilberto e sua amada
São Angilberto amava Bertha,
Uma das filhas de Carlos Magno de França...
Bertha recusou a Ecgfrito,
Filho do rei Ofa da Mércia...
É que o rito do amor já lhe entrara por outra porta aberta...
E Angilberto, poeta, diplomata, mantém a esperança!
E criou-se na corte, grande controvérsia...
 
Era Bertha concubina do abade,
Filha do Rei Carlos Magno de França,
E tiveram dois filhos, ao que se sabe!
Hartenido e Nitardo, este sábio desde criança...
 
Mas doente, Angilberto
Fez promessa ao túmulo de São Ricário,
Se curado, seguiria vida penitente
E se curou e salvou-se do fim que parecia perto...
Mas soava-lhe à alma a promessa como um contínuo campanário...
Deixou Bertha  o bardo e exilou-se renitente...
 
Carlos Magno tolerava o amor de Angilberto e Bertha,
Assim, evitava problemas diplomáticos  e de regência,
O Abade encerrava a vida entre desejos dramáticos e penitências,
E decerto assim se mantinha esta história encoberta...
 
 

Compartilhar
Jayro Luna
18/02/2021