Agonia

Se penso em ir embora, a saudade vem na hora, se penso em ficar a angústia me devora. Olho a vida pela janela lá fora, as manhãs amanhecem, as tardes entendessem e logo cai a noite e me enlouquece. Ouço vozes que me atormentam na madrugada, finalmente consigo dormir. Agora são os sonhos que me atormentam. Não sei o que é sonho ou realidade, tanto faz, a agonia é constante, vou para a rua olho para trás vejo a janela a luz está acessa, me vejo, um olhar tristonho me pede para voltar, agora é tarde a porta não maís existe, temo não mais voltar.

Cesar Garcez
© Todos os direitos reservados