Que o gênero se transforme!

 

É na fé, que este poema Transmita

Como um direito transcendental e Transcultural

Puro e verdadeiro a todo o espectro que Transita

 E que está além do que é só sexual.

 

Que possa cada vida ter sempre um transborde

De paz e amor, e com igualdade as Transfira

Em gênero, número, grau, identidade, e que transconcorde

No que, autêntico, o corpo e alma dos seres transpira

 

Cada vez mais humano, porque transdiscute

Na natureza da diversidade, que este Transpasse

Aquilo que segrega e violenta, e com alegria transmute

Como ser humano que constantemente transnasce.

 

Guilherme dos Anjos Nascimento

 

Guilherme dos Anjos Nascimento
© Todos os direitos reservados