Caminhar às duras penas

Me levou a este caminho, um amor oferecido

 

Que passo a passo me cansa, como se fosse uma doença

Voltando sempre à trás, te conforto prometido,

A dar sempre a mão a quem me vê com indiferença.

 

Triste desalento, e ainda sigo rendido!

Na cilada da paixão, que deixa o coração em crença

Não quero te abandonar , por aqui perdido,

Depois de andar comigo, nesta travessia imensa

 

Mas pra trás do que pra frente, portanto desiludido

Amo-lhe de hábito, mais do que a razão pensa

Bate em você parte do meu coração partido

Imaturo para a despedida, deixar você não me compensa

 

Na esperança de que para outro trajeto, fique decidido

E se sinta livre pra me dar adeus, situação mais propensa

Seria mais fácil a você, do que a mim, já convencido,

De lhe carregar nesta caminhada, que de altruísmo se adensa.

Guilherme dos Anjos Nascimento

Guilherme dos Anjos Nascimento
© Todos os direitos reservados