Alentos


 
Era tão somente uma pequena esperança.
Nasceu ali, em um canto do meu coração...
Tímida, frágil, sem expectativas de futuro.
Mas trazia em seu corpo o poder da ilusão.
 
E quando a esperança foi se fazendo maior,
A ilusão em mim foi também crescendo.
E passei a sonhar grande, a sonhar muito,
E a ver todo o meu mundo, nelas se envolvendo.
 
As esperanças nos trazem promessas de alento,
As ilusões vendam nossos olhos para a realidade.
Mas como viver sem a presença delas?
Como resistir a cada dia, apenas com a verdade?
 
Resta-me assim em ser grato à vida.
Por toda essa essência que no viver incide.
Pela esperança que a mim empresta,
Pela ilusão que a mim permite.
.
.
 
 
 
 
 
 

Jrunder
© Todos os direitos reservados