Site de Poesias

Menu

SONETO DA RENOVAÇÃO II

SONETO DA RENOVAÇÃO II

Na natureza nada se perde, tudo se renova
Pois que a essência finca e nela permanece
Inédita lei da conservação colocada à prova
A qual o que se conhece é o que se parece

Necessário repensar a atitude conservadora
Rasto da sociedade hipócrita e negacionista
Através de uma política falsa, vil e impostora
Que oprime o altruísta e avilta o progressista

Berço da dialética com o filósofo que tudo flui
Ação dinâmica que move o espírito que evolui
Harmonia dos contrários no devir da realidade

Alicerce da evolução humana com diversidade
Visto no crescimento moral, social e espiritual
Nos destinos daqueles que fazem o diferencial

Marco Antônio Abreu Florentino

Nota do autor: Renovar é imperativo, viver é defectivo.

https://youtu.be/8z-fxcdHmDE

(Há Tempos - Legião Urbana)

Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
13/12/2020