IGUALDADE

IGUALDADE

Conceito fundamental da democracia liberal
Tem primórdio na fala da Servidão Voluntária
Adágio francês na revolução política e social
Valor representativo da condição humanitária

Regra basilar da sociedade que se quer justa
Na democracia todos são iguais perante a lei
Princípio essencial numa constituição robusta
Que não aceita tiranos ou comando de um rei

Pressuposto natural da vera condição humana
Que não apresenta estrutura genética diferente
Distinção que nas relações sociais não engana
No proceder intransigente longe de ser inocente

Na realidade o ser social é no dia a dia desigual
Ao arbítrio do homem que opina seu semelhante
No bem material, na raça e origem contingencial
Discriminando a favor daquele que lhe é relevante

A legítima pretensão humana do alvitre socialista
Não granjeou os resultados da sonhada igualdade
Cerceada pela linha invisível da utópica conquista
No fragoroso fracasso do sentimento de civilidade

Nos fúteis critérios de valor da sociedade humana
Estabelecidos pelo odioso poder de índole egoísta
São geradas diferenças numa comunidade insana
Num imoral amálgama social de ideologia fascista

Hão de ser resgatados os elevados ideais franceses
De liberdade, igualdade e fraternidade entre homens
Em que o espírito de irmandade dos ritos escoceses
Triunfará na ideação do ser racional tal qual dólmens

Marco Antônio Abreu Florentino

Segundo poema da trilogia humanista sobre o iluminismo, baseado nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade como alicerces na construção de uma sociedade humana mais equânime e justa.

https://youtu.be/mqjdY_DZQ3U

(Mull of Kintyre - Paul McCartney and Wings)

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados