SOMBRAS NA PAREDE

SOMBRAS NA PAREDE

Já faz tempo... acreditávamos na verdade
E não deu tempo, muito cedo ela te levou
Deixou amargo o sabor da eterna saudade
E a estranha sensação... o sonho acabou

Agora depois de tanto tempo nada mudou
Continuamos vendo as sombras na parede
Você não pode ver mas o mundo fracassou
Só nos resta ficar olhando deitados na rede

Ninguém entende, creem que somos loucos
Hoje a nossa voz só emite grunhidos roucos
Mas pessoas continuam acreditando no jogo

Fazem a roda girar, girar, pois não pode parar
E o tempo que ajudava aquele menino pensar
Virou fumaça na estrada ressequida pelo fogo

Marco Antônio Abreu Florentino

Soneto que faz homenagem ao genial músico contemporâneo John Lennon, ex integrante dos Beatles, assassinado em 1980 e que estaria fazendo oitenta anos de idade neste mês de OUT/2020.

Inspirado na belíssima canção ¨Watchig The Wheels¨, um verdadeiro poema musical de teor crítico social, psicanalítico e existencial, aqui interpretado magistralmente por Willie Nelson e seus filhos, cantor e compositor americano de música country, também como  homenagem a John Lennon.

A seguir, a tradução da letra escrita por esse que é um dos maiores artistas de todos os tempos.

https://youtu.be/hqS4rgG7TjU

WATCHING THE WHEELS (OLHANDO O MOVIMENTO)

As pessoas dizem que eu sou louco por fazer o que faço
Bem eles me dão todos os tipos de advertências para me salvar do fracasso
Quando eu digo que eu estou OK, bem eles olham para mim de um jeito estranho
Com certeza você não está feliz agora que você já não joga o jogo

As pessoas dizem que eu sou preguiçoso fazendo de minha vida apenas sonhos
Bem eles me dão todos os tipos de conselho querendo me iluminar
Quando eu lhes falo que eu estou bem assistindo sombras na parede
Você não sente falta do menino daquele grande tempo que você não é mais?

Eu estou apenas sentado aqui assistindo as rodas darem voltas e voltas
Eu realmente amo vê-las rolarem
Já não monto no carrossel
Eu apenas tive que deixar ir

Ah, as pessoas fazem perguntas perdidas na confusão
Bem, eu lhes digo que não há problemas, só soluções,
Bem, eles mexem suas cabeças e me olham como se eu tivesse perdido a razão
Eu lhes digo que não há nenhuma pressa
Eu apenas estou sentado aqui perdendo tempo

Eu estou apenas sentado aqui assistindo as rodas darem voltas e voltas Eu realmente amo vê-las rolarem
Eu realmente amo os assistir rolo
Já não monto no carrossel Eu apenas tive que deixar ir
Eu apenas tive que deixar ir
Eu apenas tive que deixar ir

Marco Antônio Abreu Florentino
© Todos os direitos reservados