Site de Poesias

Menu

Sol Negro


Sol Negro 
 
Mentimos às crianças,
Enganamos  pessoas,
Mantemos crentes iludidos, 
Manipulamos manadas de idiotas.
Ameaçamos insensatos e
toleramos o intolerável.
 
Vivemos entre medos paralisantes,
Amores estraçalhados,
Cheiros insuportáveis,
Esquálidas esperanças...
 
Nossas almas desertaram
Para mundos perdidos.
Fecham-se  círculos,
Inicia-se um principio sem fim...
 
Chorar não requer motivos,
Mas os temos de sobra;
Olhe bem o mundo lá fora.
 
Magras mãos, tremulantes,
Apalpam vazias, a procura de algo
à lua do dia ou na negritude
das noites sem fim.
A vida não tem mais qualquer o sentido.
Entre ranger de dentes,
Ouvem-se grunhidos
Das bocas famintas que
mastigam seus sonhos.
Mas não conseguem enganar a fome.
 
Guerras sem fim dizimaram
as noites sem dias,
e as esperanças vazias.
Morte e agonia, medo e horror.
 
A humanidade, inglória
Decretou um futuro sem futuro,
Quando perdemos a memória
não há mais o quê procurar.
morremos, dia a dia, sem notar.
 
Vagando no escuro, tropeçando no lixo,
espalhado entre ruínas e restos.
Andamos sem destino, sem endereço
Sem mágoas ou nem mesmo rancor.
 
Águas paradas, no meu coração
amargam-me  as entranhas.
Raízes profundas contorcem-se
em dores...
Só restam piranhas e
Corações sem amores.
 
Sem tempo, sem hora,
o céu escurece e a vida se apaga.
Relógios parados, noites perpétuas
Frio congelante, razão sem razão.
 
Pouco mais que nada existe.
A alegria ficou triste
Perdemos nosso caminho.
Andamos como alcoólatras,
Toda noite é o dia todo...
 
Tudo o que temos, é pouco,
pouco mais que nada;
Tudo que resta é só o que temos:
E nós não temos nada.
 
Um mundo pra lá de medonho,
um frio fino e permanente,
Nas terras, a terra; no mar as águas
no ar aves de rapina  assustam
E, no céu, sem estrelas, um estranho
Sol Negro.
 
          
 
                                                                       Porto Alegre, 22/11/19
Editado em: 03/10/20                                         José Carlos de Oliveira
 

Compartilhar
jose carlos de oliveira
06/10/2020