Site de Poesias

Menu

Após a tempestade

Como onda forte

Vento violento

Como noite cinzenta

Tempestade que dá medo

É esse sentimento

Que há dentro de mim.

 

Gela

Paralisa

Doi

Massacra

Escraviza

Não me permite partir

E rasga ainda viva

A minha alma.

 

Vivo ainda

Em silencio

E conformada à dor

Não posso

Não consigo

Não há como escapar

Apenas esperar...

 

Esperar

Apesar de tudo em mim

Indicar o contrário

Que nada irá mudar 

Mas creio ...

 

Que esse sentimento

É forte, atemorizante

Mas é  nuvem passageira

Pode ser chuva que destrói

Mas mata a sede

Estação que simplesmente

Se sucedeu a uma outra

Sem que eu percebesse.

 

E como todas as estacoes

Um dia simplesmente

Eu creio

Esse sentimento acaba. 

 

E que após essa tempestade 

O solo da minha alma

Esteja fértil

E nasça flores

Novamente em mim. 

 

 

Compartilhar
Melina dos Anjos
06/10/2020