Site de Poesias

Menu

Minha Paixão é uma onda no oceano

O amor em que confiamos 

Não existe;

O que existe é a paixão 

E paixão É ilusão criada

Quando achamos que vemos

O que simplesmente não há 

Para se ver.

 

O amor que existe é obrigação 

Contrato entre as partes;

Juramento de se construir

Juntos uma vida;

Mesmo quando todo o encanto

Da poesia acaba

Porque sempre acaba. 

 

Retribuir, fazer, sacrificar 

Construir , renunciar, cooperar

Até quando não se há vontade;

O amor que existe é ação 

Ação, ação e mais ação;

Que chega às vezes a fadigar

Chega a nos esgotar

Com o passar do tempo;

E se resiste por anos 

É pelo juramento 

Porque se não for jurado 

Não se sustenta. 

 

O amor que existe

Não é sentimento;

Nós, com nossas almas vazias

Tentamos vender para nós mesmos

A paixão como se fosse 

O amor em que confiamos; 

E o amor em que confiamos

É paixão na qual cremos que durará 

Como dura o nosso juramento;

Mas a paixão não dura para sempre.

 

A alma que é vazia

Sempre será vazia

Não importa o quanto de sentimento 

Se dá pra ela;

A minha alma triste

É um buraco negro;

Já dei de tudo

E para o meu desespero

O espaço só aumenta. 

 

Paixão não dura

Paixao si destrói 

E destrói quem se coloca em sua frente;

COMO a onda que na pedra se arrebenta

Deixando nela o rastro da sua fúria;

A onda traz sentimento e deixa dor 

Desgasta quem atinge

E depois desaparece. 

 

E essa pedra

É a minha dura realidade;

Essa pedra é o vazio da minha alma;

Essa pedra é o meu coração 

Que Nunca encontra paz.

 

As ondas são sonhos

Que vem do fundo de uma alma faminta;

Vem das profundezas do oceano,

Vem distante

Onde o olhar não alcança;

Nem sabemos do que são feitos 

Mas quando estamos na areia e o avistamos

A onda vem para nós 

Vem perfeita!

 

Mas as ondas 

Traiçoeiras ondas 

Quando aos nossos pés se rendem

São espumas na areia.

 

Não existe O amor em que confiamos

Deixe de se machucar,

Alma faminta;

A paixão nasce, morre e outra nasce

Como as ondas do mar;

Fazendo -se

Destruindo-se

Refazendo-se

Mil vezes

Nascendo e existindo brevemente!

 

E cada vez que uma onda morre

Um sonho desaparece;

Algo morre dentro de nós 

E ressurgimos 

Para a vida 

Alguém pior ou melhor. 

 

 

Compartilhar
Melina dos Anjos
10/09/2020

  • 0 comentários
  • 20 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados