Site de Poesias

Menu

Bruma





 


E uma bruma intensa nos envolveu,
Calando-nos a voz, sufocando o respirar.
O brilho no olhar, claramente denunciava,
Que o amor acabara de chegar...

E chegou assim, com leveza,
Provocando as vibrações dos ensejos
No arrepio da pele,  no calafrio da alma
Nos lábios entreabertos, na sede dos beijos...

Liberem-se os direitos aos encantos,
Ouçam o sussurrar  dos anseios
Silêncio...  A poesia está para nascer.

Que soem as trombetas, clamem  aos anjos,
E abram-se os céus para contarmos estrelas.
Se faça primavera,  que o sonho precisa florescer...

Compartilhar
Jrunder
27/08/2020

  • 0 comentários
  • 32 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados