Site de Poesias

Menu

Padrões


Padrões


Selma Nardacci


Desorganização é algo que desanima, desorienta, assusta, e por vezes, paralisa as pessoas.
Vou citar exemplos, que todos conhecem, para facilitar a compreensão do tema, sem precisar usar histórias particulares, pois o que acontece comigo, abrange a maioria das pessoas.


Imagine todas as louças sujas na pia, talheres e pratos fora dos lugares, panelas de molho no chão, fogão engordurado, geladeira abarrotada com comidas antigas e novas.
Um Caos! Todos já passaram por tal experiência. Mas qual a maneira de consertar essa bagunça toda, que tantas vezes, nos tira o chão?
Resposta: encontrar pessoas de boa vontade.


É preciso enfrentar as dificuldades. Sendo, que a primeira dificuldade é a de venceremos a nós mesmos. Encontrar um ambiente desestruturado, já nos desestrutura. Vencer a desestrutura interior para enfrentar a desestrutura exterior requer força exponencial. E tudo começa na vontade, treinada para o bem.


No caso da cozinha, criar técnica na lavagem das louças, usar uma boa esponja e Bombril, para as sujeiras difíceis, organizar as louças antes de serem lavadas, colocar no chão o excesso de vasilhas para esperar a vez na pia. Dar prioridade aos copos, para que a gordura dos pratos não seja transferida para eles e depois ir lavando do mais limpo para o mais sujo.


Imagine a voz da sua consciência no comando da sua vontade: “Esvazie a mesa e vá colocando nela as louças secas. Agora, guarde as louças nos armários. Seque a mesa e coloque nela a toalha mais simpática da gaveta. Coloque no centro da mesa o "número de ouro", ou seja, um objeto bem bonito, que pode ser jarro, fruteira ou algo que você olhe com carinho.
Antes de lavar a pia, parta para o fogão, vá com vontade, tire aquelas grelhas encrostadas de gordura que você sempre diz que vai lavar depois e nunca lava. Esfregue uma de cada vez, com bastante sabão, deixe escorrer. Vá até ao fogão e o ensaboe... Isso, faça de conta que ele é uma criança que chegou suja do quintal. Pegue um pano seco e tire toda a espuma. Depois lave o pano e acabe de enxaguar o que restou. Coloque as grelhas, devidamente secas, tampe o fogão e use um pano bonito para enfeitá-lo.
Passe para a pia, vá com ânimo, amor e vontade, lave o escorredor de louça e o pote de talheres que está pedindo socorro. Depois, tire tudo da pia e pegue um Bombril, que você jogará fora no final, esfregue toda a pia com sabão e água sanitária. A seguir, volte com os objetos que estavam em cima da pia: Escorredor de pratos, escorredor de talheres e algum mimo que a deixe bonita.”


Não acabou!


Varra o chão, tire o lixo e passe pano três vezes. A primeira, para tirar o lixo grosso; a segunda, para tirar a sujeira fina; a terceira, para perfumar com o desinfetante de sua preferência.


"Acabou?!" Não! Ué ficou cansado?


O texto é apenas uma metáfora, porque, na verdade, tudo na sociedade funciona como na cozinha, são padrões que se repetem em várias áreas da vida humana.
Por não prestarmos atenção em como as coisas funcionam, por não desvendarmos o enigma, de que tudo não passa de padrões que se repetem, é que a simplicidade da vida vira tragédia.


Os padrões estão no trabalho, na escola, na rua, na política, nos relacionamentos pessoais, no casamento, nos sentimentos... O único jeito de mudarmos o que já se encontra em situação difícil é tendo boa vontade. Sei que não podemos resolver os problemas de todas as pessoas, mas podemos resolver os nossos. O CAOS que criamos em tantas áreas das nossas vidas, porque deixamos as coisas se acumularem, os problemas, os desafetos, a preguiça e tantas coisas que nos tiraram o estímulo.
Para solucionar a desordem temos que ter vontade, acrescida de responsabilidade.
Vejam dois exemplos elucidativos:
1 - "Eu tenho um trabalho que me sustenta, preciso ir trabalhar, mas estou com vontade de ficar em casa porque está frio. "
Imaturidade! Porque podemos dirigir a vontade para o bem.
2 - "Eu tenho um trabalho, estou com vontade de ficar debaixo da coberta, mas tenho compromisso com as pessoas que estão me esperando. Se eu não for a engrenagem do mundo sofrerá danos por minha causa"
Maturidade! Porque podemos coordenar os desejos e não deixar que nos manipule.
Resumo da ópera, arrume a cozinha da sua vida.
Faça tudo bonito, coloque paninhos enfeitados, porque organização e arte são irmãs gêmeas.
Quando tudo acabar, pare, fique olhando para a sua obra.
Admire o que você produziu, e então saberá que você faz parte do todo e o todo faz parte de você.
Mas, lembre-se, a vida é um ciclo. Nada é estático. Amanhã a dinâmica da existência lhe trará novos desafios.


Compartilhar
Selma Nardacci dos Reis
25/08/2020