Site de Poesias

Menu

Desgraças infernais

 
Quando o meu destino cerrado,
Me encaminhar ao purgatório
Hei de, sofrendo, pagar meu pecado,
No vai e vem de um burocrático cartório.
 
Se, de vez do paraíso eu for expulso
Todo dia no inferno, por não ser Santo,
Hei de visitar meu doloroso percurso
A complicação de um moroso banco.
 
Ao final, pois, o Senhor sombrio deste lugar
Me atenderá eternamente por um sinal
Do serviço de atendimento pelo celular
E a tudo passarei de desgraça infernal!

Guilherme dos Anjos Nascimento

 

Compartilhar
Guilherme dos Anjos Nascimento
19/08/2020