Site de Poesias

Menu

vermelho


Sua marca pasma é por demais conhecida!
No impacto da sua matiz, arde o pecado eterno,
Touro no vermelho da proibida vida,
Carne apimentada às chamas do inferno!
 
No corpo, de vergonha, o rosto cora
A rubra cólera nos olhos, de ira, o treme,
Na emergência do corpo, o sangue jorra
O se arregala aos olhos o carmim que se teme
 
Por um tapete vermelho, inverte o espanto da cor  
Ressurgindo das cinzas, fênix, em revolução!
O pigmento primário do sentimento do amor
A batida no peito, uma nobre paixão.

Compartilhar
Guilherme dos Anjos Nascimento
11/08/2020