Site de Poesias

Menu

SENTENÇA


 
 
 
 
O êxtase é uma exegese passional
Que prosterna-se no corpo e na alma
E traz o zénite onde se escreve o amor.
Perante os planos da existência física
Há práticas que sublimam o espírito
Sem permitir que se capitule o desejo.
 
Nos corpos existem cicatrizes apagadas
Pelo tempo que não inoculou a ferida
Herdeira dos traçados veiculados da arte
E que sobrepujaram aos edemas astrais
Tão singularmente expostos à metafísica
Que transcende ao epicurismo do silêncio.
 
Os fatos consuetudinários das tradições
Estão diagramados no apêndice das horas,
E será o tempo o marca-passo da emoção
Que dará sustentação aos espúrios convites
Elaborados tão magistralmente pela carne,
Sedutora anfitriã das suntuosidades sensuais.
 
Tão hermética estará a consciência humana
Que o niilismo intelectual das vis potestades
Cederá o assento aos metaplasmos da fantasia...
Assim, as utópicas celebrações das sociedades
Poderão constranger a heresia a afugentar-se
E, a hipocrisia, ao destino suculento dos abismos!
 
 
DE  Ivan de Oliveira Melo
  
 
 

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
29/07/2020