Site de Poesias

Menu

NADA É PARA SEMPRE

NADA É PARA SEMPRE

Por que o homem quer ser eterno?
Consciente que tudo é passageiro?
E que em vida, amargura o inferno?
Entre momentos de feliz picadeiro?

Pois que, tudo sucede e se dissolve
O espírito em energia se transforma
A alma se despoja do que a envolve
E o que fica é a lembrança da forma

A dor e o amor não são para sempre
Visto que nada se resta permanente
Manifestos na mente igual fotografia

E quando a luz mostra que há poesia
Mesmo no vazio da ilusão subjacente
O sentido da existência está presente


Marco Antônio Abreu Florentino

Soneto para refletir o pretenso niilismo da existência, resgatado pela estética da obra de arte que desvela o sentido oculto.

https://youtu.be/pmiCKK2xwwM

(There´s Never a Forever Thing / A-HA)

Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
29/07/2020

  • 0 comentários
  • 12 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados