Site de Poesias

Menu

AURORA

 

Desperta, porquanto a madrugada se foi...
No arrebol, o dia nasce venturoso
E as estrelas agora dormem, exaustas.
Em suas harpas, os anjos entoam hinos,
Saudando a aurora com doces melodias.

Nas árvores, os galhos balouçam agitados
E deixam que as folhas murchas
Rastejem sobre o solo seco
E a nova folhagem, viçosa, dança aos ventos.

Acorda, observa o céu pleno de nuvens brancas
E o lírio que orvalha das flores,
Permitindo que os olfatos naveguem ébrios...

Levanta, a noite se transformou
E intensa luminosidade é o cateter que brilha
Diante dos olhos fatigados de sonhar!

DE Ivan de Oliveira Melo

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
25/07/2020