Site de Poesias

Menu

Novos dias



Eis que pálido chego ao meu destino,
Sôfrego por alguma solidão...
Se em meu coração sofro um desatino,
Nas pautas e nos versos, clamo por razão.

Se os sentimentos revoltos se enfurecem,
Quando minh’alma se expõe ao Sol,
Aquieto cá dentro a tempestade,
Que acontece ao vermelho do arrebol.

E a vida que lateja dentro às veias,
Se por minha, me concede algum poder...
Eu lhe peço que siga sempre em frente,
Mesmo que viva, simplesmente por viver.


Compartilhar
Jrunder
23/07/2020

  • 0 comentários
  • 19 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados