Site de Poesias

Menu

Prenuncio



Solidão...
Foi seu último presente,
que hoje carrego comigo.
Em suas últimas palavras,
no adeus prenunciava,
qual seria meu castigo.

Porque não é só, quem só, vive!
A solidão é interior.
Ela toma  posse dos dias
e a vida fica vazia...
É a solidão de um amor.

Quando  o amor é verdadeiro,
não adianta o mundo inteiro,
se colocar ao redor.
Vai ficar o espaço vazio,
no coração fica o frio
a amargura e a dor.

Quando um querer vai embora,
pode crer, que não demora,
para a solidão chegar.
Ela chega de mansinho,
e vai fazendo seu ninho...
Vem,  pra no peito morar.

Compartilhar
Jrunder
18/07/2020

  • 0 comentários
  • 16 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados