Site de Poesias

Menu

Fogo de palha

 

A última fagulha de esperança se apaga

após mais um dia cansativo e sem sentido.

O que era motivo de combustível,

agora está adormecido.

Me deito olhando para o teto

e as visões cinzentas 

confundem os olhos da alma,

que tanto luta para ficar calma

dentre turbilhões de sentimentos incontroláveis.

Só quero fechar os olhos 

e conseguir dormir,

porque quando acordar

terei mais palha da esperança para juntar

e atear fogo.

E torcer para que ela não pare de queimar.

Torcer para que dure mais de um dia.

Ou pelo menos um dia.

 

Compartilhar
Geanderson Chagas
02/07/2020