Site de Poesias

Menu

Panelas vazias

 
Panelas vazias
 
Modesta casinha, a dela.
Porta e janela.
Fogão apagado,
Frio desalmado,
Pedaços de pão.
 
Os dias  passavam,
a fome, não.
 
Gosto amargo na boca
Sensação de desmaio.
Preocupantes delírios,
Precursores da fome.
 
Nem ela, nem sua
magra cadela, Branca,
de fome, entendiam a razão.
 
Dessa vida esquisita
Que insiste,  palpita,
E entorpece a razão.
 
Contraste difícil
Entre coisas tão belas;
A beleza da vida
E o vazio das panelas.
 
Modesta casinha
a dela, porta e janela...
 
 
Porto Alegre, 24/08/19
José Carlos de Oliveira

 

Compartilhar

Porto Alegre, 1; julho de 2020

jose carlos de oliveira
01/07/2020

  • 0 comentários
  • 11 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados