Site de Poesias

Menu

Pobre vida.

Só a luz do sol ilumina

O manto da primavera

Que todas as manhãs me convida 

A empurrar o dia a dia como uma  cadeira  de roda

Que roda meio a esmo para ficar em silêncio

Em busca de outros ares ! Eu

Cheia de surpresas esperando 

Um grande amor...

Pobre vida!.

 Passou sem enredo...sem nada...

Passou por passar ...

Eu levarei comigo as madrugadas por nós dois..

Andando pela névoa lenta...

Sentindo o gosto sagrado do cristal

Das manhãs de primavera

E a loucura dos nossos beijos !

Em pranto.....

Célia Guímaro.

 

Compartilhar
Célia Guímaro
29/06/2020

  • 0 comentários
  • 11 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados