Site de Poesias

Menu

À OLÍVIA

E A CORTINA DO PALCO

CAIU ANTES DO ÚLTIMO  ATO

E VI  A IMAGEM SUA 

HORA PARADA

HORA DE LEVE SE CONTORCENDO

NUM INTERVALO DE 15 MINUTOS

PARECIA FORA DE SI

MOVIMENTOS DESCONEXOS 

COM UMA REALIDADE  DURA

VISUALIZAVA A CADÊNCIA 

DE UMA RESPIRAÇÃO SÔFREGA

BUSCANDO NO VÁCUO 

RESQUÍCIOS DE AR

QUE LHE FIZESSE CONTINUAR

E CONTINUAVA

NESTE INTERVALO DE TEMPO 

PARADA

AMUADA

LUTANDO

EMBORA PARECENDO ANESTESIADA

E EU NAO SAÍA  DO LUGAR 

PARECIA QUE ESTAVA IMPEDIDO

DE IR AO SEU ENCONTRO

E DE REPENTE 

COMO NUM ATROPELO ATROZ 

QUANDO A CORTINA 

TORNOU- INVISÍVEL

ACOMPANHANDO A PLATÉIA 

QUE SE FAZIA PRESENTE

LEVANTEI E APLAUDI

MAS SUA PRESENÇA 

FAZIA AUSENTE

NÃO  ENTEDI

MAS NÃO  ESPEROU PARA OS APLAUSOS

MAS A PLATÉIA  CONTINUAVA

DE  PÉ OVACIONANDO E APLAUDIDO

SUA PEÇA  FOI UM SUCESSO!

 

 

 

Compartilhar

QUANDO AS PESSOAS SE VÃO PRA NUNCA MAIS, FICA A INCERTEZA SE ALGUM DIA ,AINDA, A ENCONTRAREMOS
OLÍVIA É UMA DESTAS PESSOAS QUE GOSTARIA DE ENCONTRAR NOVAMENTE. FOI- SE NOVA AINDA. E NÓS CONTINUARMOS A SEGUIR. EM CASA. SÃO JOAQUIM DE BICAS.

Onivid ed Ortsac Saiuqalam
28/06/2020