Site de Poesias

Menu

Sem ter você

 

As horas passam vagarosamente

Como num relógio parado

Mas os dias voam repentinamente

Deixando-me assustado

Enquanto isso esse cômodo encolhe de tamanho

Me sufocando a alma

Tudo está confuso, estranho

E continuo achando que nada me abala

Pode ser muita presunção

Ou pura inocência

Mas quando a luz apagada

Em plena escuridão.

O travesseiro não afaga

Minha consciência abstrata

Que tenta abstrair 

E entender 

Como será possível viver

Sem ter você.

 

Compartilhar
Geanderson Chagas
28/06/2020