Site de Poesias

Menu

Serial Killer (Assassino em Série, Part. 02)

O que é isso? O que pensa que está fazendo? Não me olhe com essa cara de desentendida. Não ouse me questionar. Onde pensa que vai? ... ... ... Trabalhar?! Você acha que eu me importo com o que você tem que fazer? São perguntas retóricas, então, não me responda: Você sabe para que existe? Sabe seu propósito de vida? Foi o que imaginei, não sabe, e quando acha que sabe começa a gaguejar. Não pense, deixe sua mente limpa para o que vou te responder... : Você existe... para o meu prazer. Ponha na sua cabecinha que você me pertence, você é minha, e faço o que quiser com que é meu. Sabe qual é o ruim de tudo isso? Você sente prazer! É excitante saber a razão pela qual existe. É excitante saber porque Deus deixou até agora ter um coração pulsando dentro de você. Deus... Não tem jeito, eu preciso falar dEle até em um texto como esse, mas eu confesso para você que meu esoterismo adora quando o santo colide com o profano. ...

Anda! O que está esperando? Se ajoelha! Você sabe o que tem que fazer.   Fica de quatro, confesse os seus pecados... Camisola branca de algodão fino, com a cara no chão e empina com vontade esse rabão, enrola a colar de cruz e o terço na sua mão, peça para Ele te perdoar. Eu vou ali e já volto. E quando você não para de exclamar o quanto está arrependida. Mas, você não entende o porque sua mente é assim, quanto mais você se pede perdão, mais você se excita. Não fique surpresa, não li sua mente, parado na porta do seu quarto, eu olho para posição que está, e dessa sua coisa entre as pernas tão gostosa, eu ouço borbulhar o o sangue acumulado em suas áreas genitais, e aí começa a sua transudação! [... Ah... ] Eu não resisto, vou ter que entrar, como pode essa coisa tão fofa , tão... molhada!

Você está dizendo: "perdão, estou cheia de tesão! Perdão, mas o tesão não quer me deixar." Eu sei que você está esfregando suas pernas, você quer que eu entre e faça morada. E eu faço, é como se quando estou dentro de você te enchesse de beijos e abraços no ponto G e no ponto A, em cada uma das suas 8 mil terminações nervosas. Ah, você é minha, para de se julgar, eu te dei um propósito na  vida. Então, não hesite, me dá! Me dá, o seu corpo! Vou te dominar. Vou te desorientar! Você vai perder comigo a virgindade mental, que te permite pensar em outras coisas. Seus conceitos morais vão todos mudar, você é minha, você é minha pessoa.

Quero que de uma vez por todas tire sua roupa. Agora que tirou, fique parada. Deixa eu te olhar, como se fosse uma pintura. Vou te desenhar. Fazer um quadro seu, da sua altura. Vou fazer um quarto minimalista onde eu vá apenas para te admirar, um quarto onde só eu possa entrar. Que ele seja pequeno, chão, teto pretos e paredes brancas. Vazio... 15 metros quadrados que só eu possa com um monte de nada. As cores são as da minha mente, o nada é o que há no meu coração.

Pareço romântico, mas acredite, sou nenhum pouco bom. Eu não sou do bem. Eu disse em outro tempo que ia te devorar viva. O que realmente quero com tudo isso é você sob minha posse, te embolar nos meus braços, apertar com tanta força igual uma Boa Constrictor. Se iluda, eu te sufoco com o que parece meu amor.

Beija a minha boca, e eu derramo todo meu veneno na sua boca. O veneno da minha paixão que te cegou. Um vampiro que ama ser o primeiro convidado a entrar, o cheiro do sangue escorrendo por suas pernas, eu sei que é só uma vez. A primeira, é tudo o que preciso para te matar.

Não se preocupe, você vai viver, poderá contar a suas amigas tudo o que vou fazer com você. Seus dias de solidão acabaram, se tentar me deixar, vai se arrepender e implorar pelo meu perdão.

Sou um Serial Killer sempre ao seu lado. São minhas propriedades: corpo, alma, mente e coração.


                                                                                      @prosasalexandrinas

Compartilhar

Campo Largo

Alexandre Cezar Fh
15/06/2020