Site de Poesias

Menu

Manhã voraz

 

Parecia ser mais uma manhã como todas as outras,

mas esse café forte e sem açúcar

me deixou desperto o suficiente

para saber que algo está fora do lugar...

Parece que algo fugiu inescapavelmente.

Minha voz está embargada, não consigo falar.

O vento está afiado como uma adaga,

soprando em meu rosto, lembranças que nunca vivi,

coisas que nunca vi e sentimentos que nunca senti.

Os pássaros não estão cantando

suas canções matinais.

O silêncio calmamente toma conta de tudo a minha volta.

Uma fragrância diferente se acampa em meu corpo

se conectando a todos os meus pontos vitais

Bebo mais um gole do café

e me deslumbro com o horizonte a minha frente.

Deito-me na minha rede

suspensa no pórtico da minha choupana.

Não quero pôr-me de pé.

Quero curtir essa manhã.

Até que ela se sinta saciada.

Até que ela me deixe.

 

 

Compartilhar
Geanderson Chagas
12/06/2020

  • 0 comentários
  • 23 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados