Site de Poesias

Menu

CONVERSANDO COM O CORONA VÍRUS


Desopilando.....




Gente...


Temos que ficar em quarentena com calma, há pessoas que estão ficando loucas por estarem trancadas! Eu estava conversando sobre isso com o microondas, ele com aquela onda danada e com a chaleira elétrica, agora há pouco, enquanto tomava meu café, e nós três concordamos com isso. Não comento nada com a máquina de lavar porque ela enrola tudo, e gosta de tirar tudo a limpo e.muito menos com a geladeira pois sinto ela muito distante e fria. O secador de cabelos, também soprou nos meus ouvidos que a penteadeira está usando muitos perfumes e maquiagens, porque ela está tendo um caso com o guarda roupas. Soprou também, que o espelho tem duas caras ao acusar o sofá porque ele não gosta da mesa, porque as pernas dela são finas e muito abertas. O ventilador estava circulando na sala e dando olhadelas para cadeira, de repente o sofá desceu o braço nele, o coitado ficou com as ventas quebradas e mesmo desmantelado ele colocava a culpa de seu azar no amigo aspirador, dizendo que ele cheira muito pó e só atrai coisas ruins para dentro de si. O fogão, muito bocudo, com cinco bocas gritando que a televisão era barulhenta e que também era garota de programa. Mais do lado o prato, querendo sair do armário, gritava que amava o garfo. A colher ouviu tudo e saiu pra cima do garfo, o computador ouviu a discussão do fogão e a TV e deu palpites, a televisão o xingou de fofoqueiro e divulgador de fake news, o computador bloqueou a TV em suas redes sociais e bloqueou também o telefone por achar que ele está com Corona Vírus e gripe, transmitidas pelo ar condicionado, o ar condicionado tentou esfriar a discussão e ficou ligadão. Fui no banheiro, a pia e o vaso, que não se combinam há tempos, estavam bravos um com o outro, a pia o acusava de fedido e o vaso acusava a pia de desperdício de água, o vaso gritando que não tomava banho porque o chuveiro não era muito bom, mas sim, uma ducha corona que não ligava pra ele, só ligava prá ela. O vaso acha que o papel higiênico não colabora com nada, porque ele é muito enrolado. A ducha, por ser mais sensível,gostar de limpeza e de assuntos mais íntimos não interfere na amizade do papel higiênico com o vaso.


Apenas no quarto havia harmonia, a cama e o colchão, grudadinhos um ao outro, dormiam um sono profundo, os dois criados mudos se comunicavam em libras sobre o Covid-19, o silêncio reinava ali.


Enquanto isso, os travesseiros e as almofadas brincavam na varanda, as almofadas jogavam travesseiro uma na outra.


Daí começou uma confusão geral na cozinha, entre os copos, as panelas e os talheres, um batendo no outro, o martelo de bater bife era o que mais batia, era tigela voando prá todo lado, com as asas quebradas., O copo ficou trincado de raiva, se encheu e saiu da briga. Até a cafeteira quebrou o bico. A cebola, o alho e a pimenta formaram uma panelinha e fizeram o morango, a maçã, o abacaxi, a pera, a framboesa, a amora e o cajú chorarem, chamando-os de frutas. Os legumes estavam quietinhos na geladeira, olhando pela fresta da gaveta, a mandioca perguntava porque ela sempre fica dentro e os ovos ficam de fora, ali na porta. O pepino estava juntinho do jiló e a banana ao lado da vagem. Na fruteira, apenas o maracujá estava calmo.Muitas coisas ficaram raladas, inclusive o queijo. A faca queria entrar, mas o facão cortou o papo dela e ela foi puxada para trás. O gelo saiu rápido da geladeira e esfriou a briga. A torneira viu tudo, chamou a mangueira e deram um banho de água fria na cozinha. No final de tudo o ferro me acalmou dizendo que tudo vai passar.........

Compartilhar
OSCAR BARROS
30/03/2020