Site de Poesias

Menu

SINTOMAS

 

Abro a janela e contemplo a paisagem,
No aroma do tempo as coisas me afligem,
Sinto no ar o odor duma pérfida fuligem
Que me traz estranha e ascética mensagem.

Como posso averiguar esse ponto de origem
Se tudo é percepção e não existe linguagem?
Estou diante de uma senil e excêntrica viagem
E, meus sentidos, tudo de mim veem e exigem...

Percebo no espaço os astros que, sós, regem
Uma metafísica onde tudo se sabe e elegem
Os relâmpagos e os trovões que me rugem...

Palavras que se perdem sem ética e bagagem
Numa atmosfera que não utiliza a embreagem
Que reduza os intensos efeitos que surgem!

DE Ivan de Oliveira Melo

Compartilhar
Ivan de Oliveira Melo
21/03/2020