Site de Poesias

Menu

Nas mãos de Deus

Minha amiga, olha com as límpidas

Lentes dos olhos de teu coração;

Aprecia, sem pressa, quão linda

E colorida é a singular estação

 

Da vida, se Deus é o condutor

De todos os passos da gente,

Não há obstáculos, nem dor

Capazes de esboroar a mente;

 

Sequer, há cronologia extrema

Que emudeça a bela canção

A ressoar do estribilho da emoção

Do reencontro de vidas plenas.

 

Minha amiga, ao compartilhar de tua essência,

Meu dia elevou-se à eternidade;

Numa vibrante fração de existência,

Transbordou minh'alma de felicidade.

 

Num instante, regozijamo-nos com a bucólica

Paisagem da fragranciosa serra do mar;

Passeamos pelos recintos de nossa história

Até as vicissitudes saltaram no olhar.

 

Na palma de tua mão, numa fração de segundo,

Tu me mostraste a aurora boreal;

E pelos quatro cantos do mundo,

As belas obras do poder sobrenatural.

 

E para coroar nosso momento lúdico,

O sol radiante do filme oriental

Fez resplandecer a luz de nosso equilíbrio

E iluminou-nos a razão e o emocional.

Compartilhar
Cid Rodrigues Rubelita
03/03/2020