Site de Poesias

Menu

Florista

Olha, desde que nasci

tenho a impressão

de que sou afeito

ao ofício de semear canteiros;

 

Olha, desde que te conheci

Reverbera cá dentro do peito

Uma latente vocação

De viver o labor de jardineiro.

 

Sabe, desde o nosso encontro

pulsa em meu âmago o dom de florista

E vejo flores em todos os instantes da vida;

 

E sinto que passeio por avenidas

Ladeadas por fragranciosas flores multicoloridas

A enfeitar o caminho por que ando.

 

Escuta, daquele momento doravante

Ouço a suave voz do divino Condutor

A me falar de quanto é gratificante

 

O suspirar da vida no jardim em flor,

Se desse cenário de glória inebriante

Compartilha alguém que nos causa rubor.

 

 

 

Compartilhar
Cid Rodrigues Rubelita
02/03/2020