Site de Poesias

Menu

Um homem no espelho

Ele me olhou fixamente através do espelho embaçado
esquadrinhando todo o meu ser em busca de algo do passado
assustei-me com o olhar daquele senhor preocupado
desviei os meus olhos dos seus que pareciam tão cansados
esfreguei as mãos sobre o espelho num ato desesperado
ele surgiu nitidamente e nossos olhos se cruzaram
eu precisava ser forte como um jovem despreocupado
para ouvir suas palavras eu tinha que estar preparado
olhei àquele homem, mas, esperava ver ali um menino
tinha a minha semelhança, mas eu não lhe reconhecia
não disse nenhuma palavra, porém, meu pensamento ele lia
curvei a minha fronte, abaixei meu olhar, fiquei indiferente
eu não conhecia aquele homem que estava em minha frente
ele comigo parecia e não tinha surgido ali de repente
trazia as marcas do tempo que eu pensei que não havia passado
uns poucos cabelos brancos, um brilho opaco no olhar
mãos seguras ainda tinha e muita disposição pra ensinar
queria falar comigo mas eu não lhe permitia
botei o indicador sobre a boca impedindo-o de falar
talvez me falasse da vida, quem sabe, do que mais me falaria?
embora emudecido o seu olhar me iluminou
minha escuridão clareou e apenas lhe observei atento
suas palavras tinham vida e alegravam o pior momento
mas eu não queria ouvir tinha medo da ingratidão do tempo
não precisava mais de palavras sua presença bastou
foi o tempo que me mostrou a razão do olhar daquele senhor
continuei cabisbaixo ao perceber que a vida foi quem lhe forjou
aquele homem no espelho a minha imagem refletia
viveu a vida comigo fazia tudo o que eu fazia 
eu queria ver um jovem mas o homem no espelho não mentia
disse-me que só vou colher o que por mim foi semeado
outra vez olhei para o espelho e vi que o homem tinha razão
cada passo que damos na vida, em Deus precisa ser firmado
por isso sorrimos juntos olhando um para o outro, emocionados
como dois homens experientes ficamos ali parados
era o encontro da vida com os sonhos do passado que eu tinha alimentado
vi um pequeno menino no homem e um grande homem no menino
a vida não tem atalhos mas o destino tem suas curvas sempre nos esperando
olhando àquele espelho não vi mais o homem de olhar cansado
agora tinha um brilho tal qual o sol em seu fulgor do meio dia
irradiou trouxe alegria que o seu rosto iluminou o meu ser
me fez bem aquele encontro que hoje eu já sei quem sou
fiz do passado uma ponte que com a fé e a esperança cruzei
cheguei ao presente num instante quando no espelho olhei
vi meu futuro traçado nas linhas do destino e esperei
ao ver aquele homem no espelho me olhando valeu a pena, pensei
era o resultado de uma vida que eu sempre imaginei
diante daquele espelho embaçado nenhuma lágrima derramei
ficaram as lembranças do passado que o tempo apressado deixou
sempre que olho no espelho espero agora encontrar aquele senhor
eu era ele no espelho fruto do tempo e do amor…

Compartilhar
Zeca Moreira
28/02/2020

  • 0 comentários
  • 26 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados