Site de Poesias

Menu

Magrelinho

 

 

 

 

Talvez não seja o dia de falar sobre essas coisas, mas, estão todos dormindo e eu fico aqui sem poder fazer barulho.
Resolvo me distrair na área de serviços fazendo algo que tenha ficado para trás.
Pego as roupas na máquina para pendurá- las no varal, e aí dou de cara com esse guerreiro, roto e desbotado pelo tempo.

Todas as mulheres sabem que nos dias de hoje os pregadores se desmontam facilmente. Mas, vejam só, como esse magrelinho - o do meio, tem resistido sol e chuva com bravura.

 

Compartilhar
Selma Nardacci dos Reis
02/01/2020

  • 0 comentários
  • 15 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados