Site de Poesias

Menu

como se fosse pão e vinho

 

meu osso fora de mim

minha carne

meu sangue

minha pele

tudo fora de mim

 

fora de mim

os cabelos

os olhos

os ouvidos

a língua inteira fora de mim

 

dentro de mim

o silêncio do poema

que me completa

feito pão e vinho de páscoa

 

 

(do livro FERRUGEM DOS DIAS ANTES DE MIM)

 

 

Compartilhar
Meriva Pinheiro
04/12/2019