Site de Poesias

Menu

O candidato


Como não deixo nada pra depois,
depois de pensar muito nesta gente,
vou me candidatar pra Presidente
no pleito de dois mil e vinte dois.

Se vivo for e vencer,ora,pois,pois,
com Deus no coração sempre presente,
com salário mais justo,mais decente,
pobre vai esquecer feijão com arroz.

Aos cinquenta serão aposentados,
se de contribuição forem contados
vinte anos sem dúvida ou atrapalho,

Transferidos serão os condenados,
prisão agrícola em todos os estados,
onde o preso terá ganho e trabalho.

Compartilhar
josé riomar de melo freitas
03/12/2019

  • 0 comentários
  • 16 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados