Site de Poesias

Menu

Vilarejo Pajeú

Nas docas do pajeú
Nas locas de teju
Circundando a montanha
Que vive a mãe de pantanha
 


Fechem os portões
Corram para os porões
O sono da fera acabou
E ela já despertou
 


É hora de proteger
O vilarejo e vencer
A guerra espiritual
Contra a fera do mal


A fera só quer
Ficar de pé
Absorver a energia
E toda a magia
da vila da vida
da vila da montanha
 


No principal portão
Existe um guardião
Vestido com musgos e folhas
Com pele de algas e bolhas
 


Protegendo a entrada
Que dá acesso à estrada
Que vai de encontro à fera
Que em baixo apenas espera
A hora do despertar
A hora do reanimar

Compartilhar
Tiakuru
03/12/2019